Notícias

Caroline Dani é uma das referências brasileiras em pesquisas que comprovam os benefícios do suco de uva à saúde. Foto: Gilmar Gomes

Descoberta sobre os benefícios do suco de uva para o cérebro concorre a prêmio

11 de Outubro de 2017


Estudo realizado pela biomédica gaúcha Caroline Dani identificou que o consumo da bebida durante a gestação melhora a cognição de seus descentes durante a infância e adolescência. Pesquisa está entre as finalistas do 11º Prêmio SAÚDE/Nutrição

A biomédica Caroline Dani é finalista do 11º Prêmio SAÚDE/ Nutrição, promovido pela editora Abril. A pesquisadora gaúcha está concorrendo com outros dois selecionados na categoria Trabalho Experimental com o estudo sobre como o consumo de suco de uva 100% durante a gestação melhora o desenvolvimento cognitivo da prole, aumentando, por exemplo, a capacidade de aprendizagem, pensamento, linguagem, percepção, memória e raciocínio dos filhotes. A pesquisa inédita, concluída neste ano, contou com apoio do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) – por meio do Fundo de Desenvolvimento da Vitivinicultura (Fundovitis) – e de empresas e entidades do setor. Além de Caroline, os profissionais Viviane Elsner, Luciana Kneib Gonçalves, Ivy da Silva, Marina Frusciante, Laura Cechinel, Alexandre Mello e Cláudia da Silva Funchal auxiliaram no desenvolvimento do trabalho.          

A seleção dos finalistas foi feita por um grupo de jurados, que avaliaram a relevância e as condições técnicas dos estudos. Os classificados participam, agora, de uma votação popular. Os internautas poderão ajudar na decisão, votando até o dia 26 de outubro, no site saude.abril.com.br. O resultado será divulgado na última semana de novembro, em um evento de premiação em São Paulo (SP).

“Demonstramos pela primeira vez o impacto do consumo de suco de uva durante a gestação no hipocampo da prole, uma região do sistema nervoso cerebral associada com as funções cognitivas e a memória. Este também é o primeiro estudo que considerou a idade dos filhotes, evidenciando que o consumo de suco de uva durante a gestação pode ser benéfico para o aprimoramento cognitivo durante a infância e adolescência, fases do desenvolvimento marcadas pelo pico da neuroplasticidade”, defende a biomédica, mestre e doutora em Biotecnologia e pós-doutora pela Georgetown University Medical Center (Estados Unidos), Caroline Dani.               

Publicada no início deste mês na revista científica Neuroscience Letters, a investigação avaliou o efeito da dieta hiperlipídica (rica em gordura) associada ou não com suco de uva tinto durante a gestação e lactação de prole masculina. As ratas grávidas observadas foram divididas em quatro grupos. No primeiro as mães eram submetidas a dieta controle, no segundo à regime hiperlipídico e nos demais as dietas controle e hiperlipídica eram associadas a ingestão de suco de uva tinto. Após o nascimento, os filhotes foram avaliados no 21º e no 50º dia de vida, o que equivale as fases de adolescência e adulta.              
               
Caroline explica que a pesquisa identificou que o suco de uva consumido pela mãe na gestação eleva a acetilação no hipocampo, um marcador epigenético que demostra o aumento de atividade de alguns genes. “E como o hipocampo é o órgão do cérebro responsável pela memória, isso está diretamente ligado com a cognição. Então, o que pudemos concluir foi que o consumo da bebida pela mãe pode contribuir com a memória e cognição dos filhos. E este efeito está exclusivamente ligado com o período da adolescência, um fato que é extremamente importante, tendo em vista que é neste período que se tem mais neuroplasticidade, ou seja, uma maior capacidade cerebral, uma maior capacidade dos neurônios se multiplicarem e se desenvolverem”, reforça. “Nós já sabíamos que quando consumido o suco de uva protegia o cérebro, melhorava a memória, mas não tínhamos conhecimento que esses benefícios poderiam ser transgeracionais, passados de mãe para filho”, conclui a gaúcha, que estudo os benefícios do produto há 13 anos.        

Oscar Ló, vice-presidente do Ibravin, reforça a importância da entidade apoiar pesquisas que atestem os benefícios da uva e seus derivados à saúde. “O Ibravin tem como um de seus pilares o fomento científico. Alguns anos a ciência vem comprovando que a uva é a superfruta da saúde. O consumidor não busca apenas um produto de qualidade. Ele procura uma bebida que agregue na sua saúde e que também contribua com aspectos sociais. Só no Rio Grande do Sul, cerca de 15 mil famílias estão envolvidas com o cultivo das uvas destinadas à elaboração do suco de uva”, observa.           

Suco de uva e a prevenção do câncer de mama         
A descoberta de Caroline Dani sobre a melhora da capacidade cognitiva com o suco de uva integra uma série de pesquisas transgeracionais (passadas de mãe para filhos) que a biomédica vem desenvolvendo desde o final de 2015. Em junho deste ano, a gaúcha apresentou de forma inédita no Brasil – durante o III Simpósio Vinho e Saúde, em junho – o estudo que comprova que o suco de uva 100% também é um importante aliado na prevenção do câncer de mama.

Com parte da investigação realizada no Lombardi Cancer Center (Georgetown University), em Washington (EUA), Caroline demonstrou que o consumo da bebida durante a gravidez ajuda a proteger o organismo de seus descendentes quanto ao surgimento de células cancerígenas e alterações celulares que podem levar ao aparecimento do câncer na fase adulta da prole feminina.          

"Além de comprovar, mais uma vez, que a alimentação das mães tem influência direta na susceptibilidade a doenças, principalmente o câncer, mostramos que nas dietas associadas com o suco de uva podemos ter uma redução significativa de aparecimento de alterações nas células mamárias que podem levar ao câncer de mama. Um comportamento gestacional saudável é fundamental para reduzir os riscos de doenças ", constata a biomédica gaúcha.          

Caroline explica que, assim como no estudo do hipocampo, que comprovou a melhora do desenvolvimento cognitivo, os benefícios do suco de uva à saúde podem ser aprimorados no decorrer da vida. “Observamos que independente da filhote consumir ou não o suco de uva, os benefícios da bebida ingerida durante a sua gestação já auxiliariam na prevenção ao câncer de mama. Se a descendente passar a consumir suco regularmente no decorrer da vida, em média 400ml na fase adulta, esses ganhos aumentariam”, resume a pesquisadora.            

Entenda as diferenciações do suco de uva 100%         
Nos sucos de uva 100% do Brasil, o único ingrediente é a fruta, sem adição de açúcar, sabores ou aromas artificiais. É por isso que eles são nutritivos e têm inúmeros benefícios para a saúde. Mas nem tudo que tem uva é suco. Fique atento aos diferentes tipos de produtos:
Suco de uva 100%: 100% uva, sem adição de açúcar, corantes ou aromatizantes.                                      
Néctar: 50% uva, diluído em água e adoçado.       
Bebida/Refresco: 30% uva, diluído em água e adoçado, podendo ser colorido e aromatizado artificialmente.            
Em pó:  pode não conter uva em sua composição.

Sobre Caroline Dani
Possui graduação em Biomedicina pela Universidade Feevale (2004), mestrado (2006) e doutorado (2008) em Biotecnologia pela Universidade de Caxias do Sul (UCS) (2006),  além de pós-doutorado na Georgetown Lombardi Comprehensive Cancer Center, na Georgetown University, em Washington, nos Estados Unidos. Atualmente, é professora do Centro Universitário Metodista - IPA e coordenadora do programa de pós-graduação em Biociências e Reabilitação. Tem experiência na área de nutrição, com ênfase em bioquímica da butrição, atuando principalmente nos seguintes temas: suco orgânico e convencional, polifenóis, antioxidante, biologia molecular, fígado e suco de uva branco.    
 

Assessoria de Imprensa Ibravin: www.ibravin.org.br
Martha Caus: (54) 3538.3048 | (54) 9.8111.4450 - imprensa@ibravin.org.br
Cassiano Farina: (54) 3538.3048 | (54) 9.9937.9027 - imprensa2@ibravin.org.br
Camila Ruzzarin: (54) 3538.3048 | (54) 9.9190.1392 - imprensa3@ibravin.org.br